Ali:Enada

Sigo pel'o meu trilho apertado,
Cercado por pequenos muros musgosos,
Sob o brilho dum sol abrigado
Num céu cinza e tempestuoso.

Apanho as pedras que me atiram
- querem quebrar-me o corpo, a alma, o coração;
Mas apenas me quebram os ossos e
Incham-me os olhos na desilusão.

Sob a pressão das mãos 
Sobre o meu peito imaturo
Prendo os fantasmas insistentes e
Asfixio a besta ofegante.
É lá que te seguro.